Roberto Bosenberg

A Fazenda Santo Antônio, localizada em Igaraí, Município de Mococa, leva uma "assinatura" alemã desde 1951, ano em que a família Eichel, fazendeiros na Alemanha, perde todas as suas propriedades em função da 2 Guerra Mundial e resolve imigrar para o Brasil, onde arrisca um novo começo. Desde lá, o café teve uma importância muito grande, mas sempre teve que dividir o seu espaço com a cana-de-açúcar, o milho, o gado e a avicultura. Hoje, o café é predominante e somente tem como seu concorrente a cana-de-açúcar.

Em seus 171 ha, 54 ha são destinados a cultura do café e 83 ha cultivados com cana de açúcar. As demais áreas são reservadas para proteção e reserva permanente. Dos 197.000 pés de café, 28% são da variedade Catuaí Vermelho, 40% de Mundo Novo, 11% de Catucaí, 7% de Obatã e 14% distribuídos entre Catuaí Amarelo, Icatu Amarelo e Bourbon Amarelo.

Nos últimos 20 anos a Fazenda implantou plano de proteção contra erosão com a introdução de terraços consistentes em toda a área de cana-de-açúcar para contenção de água e bloqueio de assoreamento de nascentes e rio. Adicionalmente introduziu a sustentabilidade em seu conceito mais amplo. Ou seja, produzir mais com menos. Os procedimentos das melhores práticas são seguidos, para gerar o menor impacto possível no ambiente. A Fazenda também segue toda a legislação trabalhista.

Recentemente passou a investir intensamente no conceito de eficiência energética, substituindo motores e equipamentos antigos e defasados por versões modernas, para um melhor desempenho com menor consumo.

Administrada atualmente profissionalmente conjuntamente pela segunda e terceira geração, tem como desafio manter a propriedade produtiva, economicamente independente e adicionalmente manter o seu papel social na localidade.

v.1.0.3005 (19/07/2019)